Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum PT

Log in
updated 3:16 PM UTC, Apr 12, 2024

Ludovico Arcernese de Pietradefusi

No dia 11 de março de 2023, sábado, na paróquia de Maria Santíssima Anunciada de Pietradefusi (Avellino) o arcebispo de Benevento, Dom Felice Acrocca, presidiu a última sessão do Processo diocesano sobre a vida, virtude e fama de santidade de frei Ludovico Arcernese de Pietradefusi (1835-1916), frade-sacerdote da Província Capuchinha de Campânia e Basilicata, Fundador das Irmãs Franciscanas “Immacolatine”. Uma igreja repleta de religiosas, de frades e de devotos, não somente da pequena cidade de Pietradefusi, mas também das cidades vizinhas, testemunharam o quanto é ainda presente e viva a memória deste Servo de Deus.

O Servo de Deus representa seguramente um modelo de vida religiosa e sacerdotal. Ademais da pregação, típica da tradição capuchinha, se acrescenta também a imprensa como instrumento de evangelização e o seu empenho nas várias iniciativas sociais. A fundação da Congregação das Irmãs “Immacolatine”, que havia como principal missão a educação de jovens e mulheres, foi uma grande iniciativa para restituir a dignidade e a presença ativa da mulher na sociedade. Promovendo a Terceira Ordem Franciscana, frei Ludovico desejava dar ao laicato católico uma maior e ativa atuação na sociedade.

Antonio Arcernese- este era seu nome de batismo- nasceu em Pietradefusi, no dia 14 de abril de 1835. Em 1848 entra no Seminário Diocesano de Benevento, administrado pelos Jesuítas, mas em 1852, devido às revoltas do Ressurgimento italiano, retorna à casa. Terminando os estudos em 1855 se inscreve no curso de Jurisprudência, mas no dia 6 de junho de 1856 é admitido ao noviciado dos Frades Menores Capuchinhos de Nápoles, assumindo o nome de frei Ludovico de Pietradefusi. No dia 18 de junho de 1859 foi ordenado sacerdote pelo cardeal Sisto Riario Sforza.

Professor de Filosofia e Teologia dos jovens frades capuchinhos, publicou várias obras de filosofia tomista, embora tenha deixado algumas sem publicar. Com a supressão das Ordens Religiosas foi obrigado a abandonar o convento. No dia 3 de dezembro de 1866 foi nomeado Reitor da igreja do convento capuchinho de Montefusco, obtendo a autorização de permanecer ali, sozinho, como capelão (1867-1875), reunindo depois, em torno a si, outros capuchinhos dispersos.

Foi diretor espiritual da jovem terciária Teresa Manganiello (1849- 1876), proclamada beata no dia 22 de maio de 2010. Com ela, iniciou a fundação daquela que se tornaria a Congregação das Irmãs Franciscanas “Immacolatine”, nascida oficialmente no dia 8 de dezembro de 1881.

Eleito Ministro Provincial (1885-1888) da Província de Nápoles dos Frades Menores Capuchinhos, convidou os frades dispersos a retornarem aos conventos e a retomar a “vida comum”: esforçou-se em reorganizar a formação dos jovens frades e o apostolado típico dos capuchinhos: pregação e confissão.

No entanto, neste ínterim, começaram a surgir acusações difamatórias com relação a ele e a direção da Congregação das irmãs. Por isso foi obrigado a deixar o lugar da fundação, Pietradefusi e transferir-se a Cava dei Terreni. Pouco depois, no dia 3 de julho de 1894, é incardinado no clero da arquidiocese de Benevento. Frei Ludovico tinha 59 anos, dos quais 38 foram vividos na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos.

Apenas lhe foi possível, deseja retornar entre os Capuchinhos, fazendo um apelo aos Superiores da Província de Nápoles que o readmitiram no dia 15 de dezembro de 1907. Desde então viveu em Pietradefusi como Superior do Hospital por ele fundado e diretor do Instituto das Irmãs Franciscanas “Immacolatine”. Consumou os últimos anos da sua vida escrevendo, estudando e rezando. Morreu no dia 16 de fevereiro de 1916.

Última modificação em Terça, 18 Abril 2023 08:29