Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum 2

Log in
updated 9:33 AM UTC, Dec 5, 2022

Carta do Ministro geral

Baixar

PDFWord

 

Roma, 11 de agosto de 2022

Prot. N. 00568/22

Festa de Santa Clara

 Aos Presidentes das Conferências Europeias

Aos Ministros Provinciais, Custódios e Delegados

A todos os frades da Europa

 Caríssimos irmãos,

Imagino que para muitos, este período do ano seja idóneo para um momento de repouso e de recuperação das energias. Desejo que possam vivenciá-las bem, na companhia do Senhor.

Ao mesmo tempo, acredito que seja importante dar continuidade a todo o percurso que já realizamos juntos, que começou com a carta “Sonho uma Europa que seja uma família e uma comunidade. Sonho uma Europa solidária e generosa” de novembro de 2020 (Prot. N. 00844/20).

Para isto, se realizaram diversos estudos e encontros “online” (a participação reiterada das realidades formativas); o encontro de Czestochowa, realizado do dia 11 a 16 de outubro de 2021; a “Carta aos Irmãos da Europa”, de dezembro de 2021 (Prot. N. 00907/21) e os Encontros com os Ministros em Roma, que ocorreu nos dias 14 e 15 de março e no dia 25 de junho de 2022; ademais tivemos as duas Convocações em Roma, no Colégio São Lourenço de Brindise, no mês de julho de 2018 e 2022 para os pós- noviços e Estudantes Capuchinhos da Europa.

O esforço pela partilha tem sido certamente muito rico e fecundo, muito mais amplo de lo que estritamente nos pede as Constituições, por isso, nos permite descrever algumas linhas, tendo em vista o retorno das atividades depois do período de descanso do verão e para poder programar com coerência os caminhos do futuro.

I. As Conferências

Juntamente ao precioso discernimento que realizamos juntos, considerando a realidade que agora estamos a viver e da situação futura que se vai a projetar, a orientação que seguiremos no transcurso do ano de 2023 é a de substitui as atuais quatro Conferências da Europa por somente duas: a Conferência do Mediterrâneo e a Conferência do Nordeste de Europa.

Pertencerão à Conferência do Mediterrâneo as atuais Províncias[1] de Catalunha, Croácia, França, as províncias italianas, Malta, Portugal, Eslovénia, Espanha; as Custódias de Roménia, Tesino, e Oriente Médio (Líbano e Síria) e as Delegações de Albânia, Grécia e Turquía; as presenças de Argélia e Jerusalém.

Pertencerão à Conferência do Nordeste de Europa as atuais Províncias de Áustria- SudTirol, Bélgica, Cracóvia, Alemanha, Irlanda, República Checa, Eslováquia, Suíça, Varsóvia; as Custódias de Bielorrússia, Ucrânia; as Delegações de Bulgária, Grã-Bretanha, Holanda, Hungria; as presenças na Islândia, Letónia, Lituânia, Geórgia e Rússia.

Creio que seja muito importante considerar aquilo que foi citado anteriormente, para que os Ministros possam começar a encontrar-se a partir de agora. Exorto-vos, portanto, coordenados pelos Conselheiros Gerais, a programarem os seus encontros, fazendo referência às duas Conferências que serão constituídas. Algumas das atuais Conferências já prepararam algum programa, do qual se pode eventualmente aproveitar.

II. Os Itinerários Formativos

Fomos sidos solicitados da parte de alguns frades que como governo Geral apontássemos via para se percorrer o caminho com relação ao itinerário formativo. No primeiro momento decidimos esperar um pouco, para então, poder oferecer algumas sugestões da maneira mais geral possível. Aqui apresento-lhes algumas orientações gerais fruto dos nossos encontros e das sugestões compartilhadas com o Conselho Geral.

A. Conferência do Mediterrâneo

1. A partir do próximo ano (2023) só haverá dois noviciados, aproveitando da realidade formativa já existente na Itália ( já apartir deste ano, 2022, dois candidatos oriundos de Portugal vão começar o noviciado em Morano Calabro). Corresponderá aos Ministros identificar, partindo das realidades já existentes, a localidade mais oportuna para os dois noviciados. O Governo Geral da Ordem se limita a sugerir a oportunidade de considerar a significatividade do nosso convento de Camerino.

2. É responsabilidade dos Ministros interessados garantir aos candidatos uma prévia preparação linguística da maneira mais adequada possível, para que o noviciado possa resultar muito mais profícuo.

3. Em breve se deverá tratar o tema do Postulantado. Não cabe dúvida de que os candidatos seriam favorecidos se já pudessem compartilhar também o Postulantado, permitindo a sua integração antes de iniciar o noviciado (esta é la experiência daqueles que já desde algum tempo enviam os seus candidatos para as etapas formativas na Itália). As casas de Postulantado na Itália atualmente são três, porém, considerando o pequeno número de candidatos, talvez fosse razoável pensar nos próximos anos, em reduzir este número a duas.

4. Também o pós- noviciado é uma parte absolutamente decisiva para a qualidade da formação e deve poder contar com uma continuidade efetiva das fraternidades formativas. Tendo em conta os números de professos, não há uma imediata necessidade de reduzir os números de casas, e o tema pode ser afrontado em futuros encontros e reflexões sobre o tema. Sobre todas as decisões se deve levar sempre em consideração os critérios contidos na Ratio Formationis.

5. É absolutamente importante que todos os Ministros identifiquem e ponham à disposição os frades idóneos para formar as fraternidades formativas e/ou a equipa formativa. O objetivo que se deseja alcançar, em benefício dos formandos e para enriquecer a nossa proposta formativa, é de fazer com que as nossas fraternidades formativas se convertam realmente em espaços internacionais.

6. As Circunscrições que fazem parte da Conferência do Nordeste, que já possuem um itinerário formativo na Itália, pode seguir utilizando-o, sob os critérios de colaboração e não de delegação.

B. Conferência Nordeste da Europa

1. Considerando as diversas realidades da Conferência, convidamos aos Ministros a aprofundarem juntos o tema do itinerário formativo, em vista de um futuro de maior colaboração.

2. O Conselho Geral sugere de avaliar também a possibilidade de implementar um itinerário formativo em língua inglesa, realidade que se transformaria numa riqueza para toda a Europa. 

Aqui irmãos, estão as sugestões e direcionamentos! Espero que estas indicações possam ajudá-los a programar bem o futuro da nossa querida Europa e dos frades que nela testemunham o amor de Deus.

Naturalmente que há alguns desafios importantes que devemos afrontar, porém, estou seguro de que, se todos trabalhamos juntos e pelos mesmos objetivos, sem medo de confrontar-nos abertamente, encontraremos também o caminho para responder bem, como tentamos fazer até agora, às necessidades transformantes das nossas Circunscrições e às necessidades dos nossos frades que estão na Formação Inicial.

Sobre estes projetos e propostas pedimos a proteção do nosso Seráfico Pai São Francisco, cuja inspiração recebida de Deus é o mesmo motor que nos impulsiona a atuar confiadamente na atualidade.

Com a minha bênção, 

 

Fr Roberto Genuin
Ministro Geral OFMCap
 

Última modificação em Sábado, 20 Agosto 2022 09:54