Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 11:45 PM UTC, Sep 16, 2021

Religionis zelus 1528

BULA "RELIGIONIS ZELUS"

(Texto corrigido)

A reforma ou congregação capuchinha, por intercessão da duquesa Catarina Cibo foi aprovada pelo Papa Clemente VIII com o breve Exponi nobis dado em Viterbo aos 3 de julho de1528, e redigido na mesma data com selo de chumbo, isto é, em forma de uma bula que começava com as palavras Religionis zelus. Esta redação foi mudada em muitos pontos, mas sua breve substância permaneceu. Além do original da bula entregue a Frei Ludovico de Fossombrone, foram feitas duas cópias autênticas: uma para Rafael, irmão de sangue de Ludovico, e outra para Catarina Cibo. Mas hoje não sobrou nenhum desses exemplares.

Do original da bula, que, como se conta, estava guardado na cidade de Fossombrone, o cronógrafo Mario de Mercato Saraceno mandou fazer duas cópias autênticas em Ancona, no dia 10 de julho de 1579, pelo escrivão público apostólico Vicente Pavesi. Da cópia guardada no Arquivo geral de nossa Ordem (a outra está no Arquivo provincial da Província das Marcas), Zaccaria Boverio publicou o texto da bula em seus Annales (I,94-96), mas não fielmente transcrito, pois, além de algumas variantes de menor ou mínima importância, nele encontramos algumas omissões. O texto de Boverio foi copiado tanto por Lucas Waddig (Annales XVI, ano de 1528, n. XV) como pelo editor do Bullarium Capuccinorum (I,3s), nos quais encontramos as mesmas omissões, além de outras variações próprias de cada um deles. O texto da bula, que lemos no Bullarium Romanum (ed. Turim, VI, 113-115), é melhor. Mas é preciso reconhecer que o texto de Ancona (embora, segundo o testemunho do predito escrivão, tenha sido tirado do original autêntico "fielmente" e comparado com ele "palavra por palavra") não ficou absolutamente livre de erros de escrita, que não foram de nenhum modo corrigidos, a não ser que já estivessem no texto original.

Como os estudiosos, principalmente os franciscanos, tratando de nossas coisas costumam usar o texto apresentado por "Boverio, por Wadding ou pelo Bullarium Capuccinorum, publicamos agora o texto corrigido da cópia autêntica, limpo das principais falhas. Por motivo de clareza, conservamos também nós os parágrafos já numerados por Boverio e pelo Bullarium, que não estão na cópia.

Isidoro Agudo - Arquivista geral

CLEMENTE, BISPO SERVO DOS SERVOS DE DEUS

Aos diletos filhos Ludovico e Rafael de Fossombrone, professos da Ordem dos Frades Menores, saúde e bênção apostólica

O zelo pela religião, a honestidade da vida e dos costumes, e outros méritos louváveis de probidade e virtudes, pontos em que vós nos fostes recomendados por um testemunho digno de confiança, levam-nos, quanto com Deus podemos, a anuir favoravelmente aos vossos pedidos, principalmente no que diz respeito à salvação das almas e à propagação da religião.

[1] De fato, a petição apresentada a nós recentemente por vossa parte dizia que vós, levados outrora pelo fervor de servir ao Altíssimo, entrastes na Ordem dos Frades Menores chamados da Observância, e nela, tendo feito a profissão, permanecestes por certo tempo, e depois, com licença de vosso superior de então, de acordo com a forma da carta apostólica feita para a união e a concórdia entre os preditos frades e os frades chamados Conventuais, vos transferistes para o meio dos próprios frades Conventuais e fostes benignamente recebidos pelo então mestre provincial da Província das Marcas dos referidos frades Conventuais e fostes agregados ao número e convivência dos outros frades Conventuais da mesma província. Depois, por vosso desejo, para a salvação de vossas almas e para a glória de Deus, querendo levar vida eremítica e observar a Regra de São Francisco quanto permite a fragilidade humana, o referido mestre provincial vos deu licença de recorrer à Cúria Romana para pedir e impetrar de nós e da Sé Apostólica tudo que vos parecesse oportuno para a salvação de vossas almas e para a glória de Deus.

[2] Também nosso dileto filho André, cardeal presbítero do título de Santa Prisca, protetor da mesma Ordem, permitiu que vós fizésseis tal pedido, com a condição, porém, de que um de vosso grupo, em nome de todos vós, se apresente todos os anos ao mestre provincial ou ao capítulo da província dos referidos frades Conventuais em que habitardes, em sinal de submissão, e o mesmo mestre, se lhe parecer, uma vez por ano, vos visite e, se achar que vós não observais a citada Regra, possa vos admoestar e forçar como for devido para observá-la plenamente. Fora isso, porém, nem vos possa transferir de lugar, nem vos impor ou exigir de vós mais alguma coisa, mas antes deva proteger-vos e defender-vos, para que possais servir em paz ao Altíssimo nas coisas divinas, como se diz que está contido nas cartas patentes feitas pelos referidos cardeal protetor e mestre provincial.

[3] Por isso, de nossa parte, foi-nos suplicado humildemente que vos concedêssemos a faculdade de levar desse modo a vida eremítica e nos dignássemos conceder oportunamente outras coisas das já referidas, por benignidade apostólica.

[4] Então nós, que desejamos a salvação das almas, absolvendo a cada um de vós de qualquer vínculo de excomunhão, suspensão e interdito e outras sentenças, censuras e penas eclesiásticas, lançadas por alguém em qualquer ocasião ou por qualquer causa, se estiver atado de qualquer modo por alguma delas, só para efeito desta carta, absolvendo-o da série delas e tendo como absolvido para o futuro, e tendo as referidas cartas e o que nelas se contém suficientemente expresso nesta carta, inclinados para essas súplicas, por autoridade apostólica, no teor da presente, vos permitimos que, para viver a predita vida eremítica segundo a Regra, possais

[5] usar o hábito com o capuz quadrado,

[6] e acolher em vossa convivência todos os clérigos seculares e presbíteros como leigos,

[7] tanto vós como eles usar a barba,

[8] e ir para eremitérios ou quaisquer outros lugares, com o consentimento dos seus donos, e neles morar e levar uma vida austera e eremítica, e pedir esmola em todos os lugares,

[9] e vos concedemos licença e faculdade plena e livre de gozar de todos e cada um dos privilégios, indultos e graças concedidas até agora ou que forem concedidos no futuro à Ordem dos Frades Menores como também ao eremitério camaldulense de São Romualdo e aos seus eremitas em geral ou em particular, e dos quais eles de qualquer maneira usam, possuem e gozam, e poderão no futuro usar, possuir e gozar, vós também, da mesma maneira, como eles, possais usar, possuir e gozar livre e licitamente.

[10] E absolutamente a todos e a cada um dos bispos, bispos e abades e outras pessoas eclesiásticas constituídas em dignidade, como também aos cônegos metropolitanos ou de outras igrejas catedrais, e aos vigários gerais desses arcebispos, bispos e abades nas coisas espirituais em geral, mandamos à vossa discrição por carta apostólica, que quanto cabe a cada um, por si ou por outro, que vos assista e a cada um dos vossos com o favor de defesa eficaz nas coisas que enumeramos acima, e faça a vós e a cada um dos vossos,  em todas e cada uma das coisas acima referidas fruir e gozar pacificamente. E não permita que algum de vós, contra o teor desta carta, possa ser de algum modo molestado, impedido ou inquietado. Coibindo quaisquer contraditores e rebeldes, também por quaisquer censuras, penas e outros remédios de direito, do que lhes aprouver, postergando a apelação, invocando para isso, se for preciso, até o auxílio do braço secular.

[11] Sem que obste a determinação de Bonifácio VIII, nosso predecessor de feliz memória, também de uma e, no Concílio geral, de duas sessões, nem outras constituições e ordenações apostólicas, como também os estatutos e costumes da referida Ordem, mesmo reforçados sob juramento, confirmação apostólica ou qualquer outra garantia, e mesmo os privilégios, indultos e cartas apostólicas emanados por quaisquer dos Pontífices romanos nossos predecessores e por nós e pela referida Sé, também por força de uma lei geral ou estatuto perpétuo, e por motu próprio e ciência certa ou com a plenitude do poder apostólico, e com quaisquer cláusulas irritativas, restitutivas, declarativas, atestativas da mente ou derrogatórias, e outras mais eficazes, eficacíssimas e insólitas cláusulas e mesmo que tenham sido dadas, confirmadas e renovadas repetidas vezes consistorialmente. Dessas coisas todas, mesmo que para sua suficiente derrogação, dela se de todos os teores especiais, individualmente e de palavra por palavra, mas não por cláusulas gerais igualmente importantes, menção ou qualquer outra expressão deva ser tida ou deva ser observada de uma forma certa rebuscada, e nas mesmas se cuide expressamente que de maneira alguma possam ser derrogadas, também dos seus teores pela presente como suficientemente expressas e inseridas palavra por palavra, e nem modos ou formas que para isso devam ser observadas tendo como observadas pelo individuo, por esta vez apenas, devendo ficar outras mantidas em sua força, derrogamos especial e expressamente sua série, e de tudo que possa ser contrário.

Portanto, não seja lícito a homem algum infringir ou com ousadia temerária ir contra esta nossa página de absolução, concessão, mandato e derrogação. Mas se alguém presumir atentar isso, saiba que há de incorrer na indignação de Deus Onipotente e dos bem-aventurados apóstolos Pedro e Paulo.

Dado em Viterbo, no dia três de julho do ano 1528 da Encarnação do Senhor, no quinto ano do nosso pontificado.

 


bulla religionis zelus

Versione originale in latino - Collectanea franciscana, Annus 48, 1978, p. 243 – 248

BULLA “RELIGIONIS ZELUS”  

(Textus emendatus)

Reformatio seu congregatio capuccina, Catharina Cybo ducissa Camerinensi intercedente, a Clemente Pp. VII approbata est brevi Exponi nobis dato Viterbii die 3 iulii anni 1528, et eadem datatione sub plumbo expedito, i. e. in forma bullae incipientis verbis Religionis zelus. Huius redactio in pluribus mutata est, brevis substantia eadem permanente. Praeter originale bullae fratri Ludovico de Fossombrone traditum, bina transumpta authentica facta sunt: unum pro Raphaele, Ludovici germano fratre, alterum pro Catharina Cybo. Ex quibus exemplaribus tamen hodie nullum superest. Immo, in archivo vaticano scriptio, quam “minuta” aiunt, tantummodo brevis servatur.

Anconae die 10 iulii anni 1579 chronographus Marius de Mercato Saraceno bina transumpta authentica trium primorum documentorum S. Sedis nascentem reformationem respicientium per Vincentium Pavesium, publicum notarium apostolicum, conficienda curavit, scil. brevis Ex parte vestra a S. Paenitentiaria die 18 maii anni 1526 fratribus Ludovico et Raphaeli de Fossombrone necnon Matthaeo de Bascio dati, bullae Religionis zelus, et brevis pariter Ex parte vestra die 11 septembris anni 1528 ab eadem Paenitentiaria concessi quinque sodalibus Observantibus Marchiae statim congregationi capuccinae aggregatis. Haec tria transumpta, conglutinata, duos rotulos membranaceos efformant, quibus est mensura 120 centimetrorum per 45,5: unus in archivo generali Ordinis asservatur; alter in archivo provinciali provinciae Picenae in urbe Ancona.

Ad transumptum bullae quod attinet, illud ex originali, quod in urbe Fossombrone - ut fertur - adhuc saeculo XVII custodiebatur, confectum est. Ex exemplari archivi generalis Zacharias Boverius in suis Annalibus Capuccinorum (I, Lugduni 1632, 94-96) textum bullae publici iuris fecit, non tamen fideliter exscriptum, cum, praeter variantes minoris seu minimi momenti, nonnullae omissiones in eodem deprehendantur. Textum a Boverio excerpserunt tum Lucas Wadding (Annales Minorum XVI, Ad Claras Aquas 3 1933, 296-298 vel 257s) tum editor Bullarii Capuccini (I, Romae 1740, 3s), apud quos eaedem omissiones inveniuntur praeter alias variationes cuiusque proprias. Ex eodem transumpto authentico Laertius Chembini textum satis fideliter edidit in suo Magno Bullario Romano (I, Lugduni 1673, 672s), quem editores Bullarii Romani (ed. Taurinensis, VI, Augustae Taurinorum 1860, 113-115) resumpserunt.

Fatendum tamen est quod transumpti anconitani bina exemplaria (licet, teste praedicto notario fideliter ex authentico originali exscripta et “de verbo ad verbum”  auscultata et cum eodem collata) erroribus exscriptionis minime careant, qui nullo modo emendati sunt; immo, quia eadem scribae menda in illis exemplaribus deprehenduntur, suspicari licet unum ab alio pendere, minime utrumque ex originali exscritum fuisse.

Quia studiosi viri, de re nostra agentes, textu vel a Boverio vel a Wadding vel a Bullariis Capuccino et Romano oblato suo quisque comodo uti solent, textum emendatum transumptorum autheticorum, ab evidentioribus mendis purgatum, offerimus. Cum autem illa transumpta momento palaeographico seu diplomatico careant, in hoc nostro textu modernam orthographiam adhibemus. Claritatis lectionis causa, paragraphos iam a Boverio et a praedictis Bullariis numeratas et nos servamus. Errores et variationes sive transumptorum sive textuum editorum ad calcem adnotamus, his siglis utentes: Tr A et R (exemplaria transumptorum Anconae et Romae servatorum),  B (Boverius), W (Wadding), BC (Bullarium Ccapuccinum), BR (Bullarium Romanum, ed. Taurinensis).

En igitur textus emendatus:

CLEMENS EPISCOPUS

SERVUS SERVORUM DEI

dilectis filiis Ludovico et Raphaeli de Foro Sempronii1

Ordinis fratrum Minorum professoribus, salutem et apostolicam

benedictionem.

 

Religionis zelus, vitae ac morum honestas aliaque laudabilia probitatis et2 virtutum merita, super quibus apud nos fide digno commendamini testimonio, nos inducunt ut votis vestris3, praesertim quae animarum salutem et religionis propagationem respiciunt, quantum cum Deo possumus favorabiliter4 annuamus.

 

[1] Sane pro parte vestra nobis nuper exhibita petitio continebat quod vos, olim fervore serviendi5 Altissimo ducti, Ordinem fratrum Minorum de Observantia nuncupatorum ingressi, in eo, professionem emissi6, per certum tempus permansistis, et deinde de licentia vestri7 tunc superioris, iuxta formam litterarum apostolicarum super unione et concordia inter praedictos et Conventuales nuncupatos fratres dicti Ordinis edita confectarum, ad ipsorum fratrum Conventualium consortium vos transtulistis, et a tunc magistro provinciali provinciae Marchiae dictorum fratrum Conventualium benigne recepti, ac aliorum fratrum Conventualium eiusdem provinciae numero et consortio aggregati fuistis; et deinde, vobis desiderantibus, pro animarum vestrarum salute ac Dei gloria, eremiticam vitam ducere, et, quantum8 humana patitur fragilitas, Regulam beati Francisci observare, dictus magister provincialis licentiam ad Romanam Curiam  accedendi, et a nobis ac Sede Apostolica quaecumque ad animarμm vestrarum salutem ac9 Dei gloriam opportuna vobis viderentur petendi et impetrandi, concessit.

[2] Ac10 etiam dilectus filius noster Andreas, tituli Sanctae Priscae presbyter cardinalis, dicti Ordinis protector, vobis ut similem impetrationem faceretis11 indulsit12, ita tamen quod unus ex consortio vestro, omnium vestrorum nomine, magistro provinciali seu capitulo provinciae dictorum fratrum Conventualium, in qua habitaretis, singulis annis se praesentare in signum subiectionis teneretur, et ipse magister, si sibi videretur, semel in anno, et non ultra, vos visitare, et, si inveniret13 vos Regulam praedictam14 non observare, ad eam plenius observandam vos admonere ac debitis modis compellere posset; praeter haec autem, nec vos de loco ad locum transferre nec aliquid aliud vobis iniungere aut a vobis exigere valeret, sed potius vos tueri et defendere teneretur, ut in pace possetis Altissimo in divinis famulari15, prout in litteris patentibus eorundem cardinalis protectoris et magistri provincialis desuper confectis plenius dicitur contineri.

[3] Quare, pro parte vestra, nobis fuit humiliter supplicatum ut vobis vitam eremiticam huiusmodi16 ducendi facultatem concedere aliasque in praemissis opportune providere17 de benignitate apostolica dignaremur.

[4] Nos igitur, qui salutem cupimus animarum, vestrum quemlibet a quibusvis excommunicationis, suspensionis et interdicti aliisque ecclesiasticis sententiis, censuris et poenis, a iure vel ab homine quavis occasione vel causa latis, si quibus quomodolibet innodatus exsistit18, ad effectum praesentium dumtaxat consequendum, harum serie absolventes et absolutum fore censentes19, ac litteras praedictas et in eis contenta quaecumque praesentibus pro sufficienter expressis habentes20, huiusmodi supplicationibus inclinati, auctoritate apostolica, tenore praesentium, vobis ut secundum Regulam praedictam vitam eremiticam ducere,

[5] et habitum cum caputio quadrato gestare,

[6] necnon omnes, tam clericos saeculares et presbyteros quam laicos, ad vestrum consortmm recipere,

[7] ac tam illi quam vos barbam deferre,

[8] et ad eremitoria seu loca quaecumque, cum consensu dominorum eorundem locorum, vos conferre, et in eis21 habitare vitamque austeram et eremiticam inibi agere, et in quibuscumque locis mendicare,

[9] necnon omnibus et singulis privilegiis, indultis et gratiis Ordini22 fratrum Minorum huiusmodi ac eremo camaldulensi beati Romualdi illiusque eremitis in genere vel in specie hactenus concessis et in posterum concedendis, et quibus ipsi quomodolibet utuntur, potiuntur23 et gaudent, ac uti, potiri et gaudere poterunt in futurum, vos quoque aeque principaliter, sicut ipsi, uti, potiri et gaudere libere et licite valeatis, plenam et liberam licentiam ac24 facultatem concedimus.

[10] Et nihilominus universis et singulis archiepiscopis, episcopis et abbatibus aliisque in dignitate ecclesiastica constitutis personis, necnon canonicis metropolitanarum vel aliarum cathedralium ecclesiarum ipsorumque archiepiscoporum, episcoporum et abbatum vicariis in spiritualibus generalibus25 per apostolica scripta mandamus quatenus eorum quilibet, per se vel alium seu alios26, vobis et vestrum cuilibet, in praemissis efficacis27 defensionis praesidio assistat, et faciat vos et vestrum quemlibet praemissis28 omnibus et singulis pacifice frui et gaudere, nec permittat vestrum quemlibet29 contra tenorem praesentium modo aliquo molestari, impediri, aut inquietari. Contradictores quoslibet et rebelles, etiam per quascumque, de quibus sibi placuerit, censuras et poenas et alia iuris30 remedia, appellatione postposita, compescendo, invocato etiam31 ad hoc, si opus fuerit, auxilio brachii saecularis.

[11] Non obstantibus felicis recordationis Bonifatii Pp. VIII, praedecessoris nostri, etiam de una et in32 Concilio33 generali de duabus dietis edita, ac aliis constitutionibus et ordinationibus apostolicis necnon dicti Ordinis statutis et consuetudinibus etiam iuramento, confirmatione apostolica vel quavis firmitate alia roboratis, privilegiis quoque, indultis ac litteris apostolicis per quoscumque Romanos Pontifices praedecessores nostros ac nos et Sedem praedictam, etiam per vim35 generalis legis et36 statuti perpetui, ac motu proprio et ex certa scientia ac de apostolicae potestatis plenitudine, et cum quibusvis irritativis, annullativis, cassativis, revocativis, praeservativis, exceptivis, restitutivis, declarativis, mentis37 attestativis ac derogatoriarum derogatoriis aliisque38 efficacioribus, efficacissimis et insolitis clausulis et consistorialiter quomodolibet etiam pluries concessis, confirmatis et innovatis. Quibus omnibus, etiamsi pro illorum sufficienti derogatione, de illis eorumque totis tenoribus specialis, individua ac de verbo ad verbum, non autem per clausulas generales idem importantes, mentio seu quaevis alia expressio habenda aut certa exquisita forma servanda foret et in eis caveatur expresse quod illis nullatenus derogari possit, illorum etiam tenores praesentibus pro sufficienter expressis ac de verbo ad verbum insertis, necnon modos et formas ad id servandas pro individuo servatis habentes, hac vice dumtaxat, illis alias in suo robore permansuris harum serie specialiter et expresse derogamus, ceterisque contrariis quibuscumque.

Nulli ergo omnino hominum liceat hanc paginam nostrae absolutionis, concessionis, mandati et derogationis infringere vel ei39 ausu temerario contraire. Si quis autem hoc attentare praesumpserit, indignationem Omnipotentis Dei et40 beatorum Petri et Pauli apostolorum eius se noverit incursurum.

Datum Viterbii, anno Incarnationis Dominicae millesimo quingentesimo vigesimo octavo, quinto nonas iulii, pontificatus nostri anno quinto.

[Ad calcem] Gratis pro Deo. P. Medina. B. Tucchis. Chr. Aquillis secretario. Villareal. Jo. Molucti. F. Guadens. A. Gratiadei. B. de Braccijs.

[Addit notarius:] Omisso sigillo plumbei cum improntis videlicet ab uno latere capita Beatorum Apostolorum Petri et Pauli, et ab alio Clemens PP. septimus cum cordulis siricis rubei et ialli.

[A tergo] Registrata in secretaria apostolica.

Edidit ISIDORUS AGUDO  
Archivista generalis Ordinis


Notae

1 Foro Sempronii] Forosempron.  Tr A et R, Forosemproniense BR, Forosempronio B, W, BC.
2 et] ac B, W, BC, BR.
3 vestris] nostris Tr A et R.
4 favorabiliter] favorabilem Tr A et R, B, BR, favorabiles BC.
5  fervore serviendi] favore serviendo Tr A et R, favore serviendi BC.
6 in eo, professionem emissi] in ea professione emissi Tr A et R, in eo professione emissa W, in ea professione emissa BC, in ea professionem emissi BR.
7 vestri] nostri Tr A et R.
8 quantum] quanta Tr A et R.
9 ac] ad B, BC.
10 Ac] At W.
11 faceretis] facere Tr A et R, B, W, BR.
12 indulsit] om. Tr A et R, B, W, BR.
13 inveniret] invenerit B, W, BC, BR.
14 Regulam praedictam] praedictam Regulam W.
15 famulari] tumulari Tr A et R.
16 huiusmodi] om. B, W, BC.
17 providere] praevidere Tr A.
18 innodatus exsistit] innodati existitis W.
19 harum serie… censentes] om. B, W, BC.
20 habentes] habentur W.
21 eis] his BR.
22 Ordini] Ordinis B, BC.
23 potiuntur] om. B, W, BC.
24 ac] et B, W, BC, BR.
25 generalibus] discretioni vestrae add. Tr A et R, B, BC, BR.
26 vel alium seu alios] vel alium seu aliis Tr A et R, vel alios seu alii B et BC vel alios seu alium W et BR.
27 efficacis] efficaciae Tr A et R.
28 efficacis … praemissis] om. W.
29 quemlibet] quemcumque Tr A.
30 iuris] in eis Tr A et R, B, BR.
31 etiam] om. B, W, BC, BR.
32 in] om. B, BC.
33 Concilio] Consilio Tr A et R. BR.
34 etiam] et etiam B, BC.
35 vim] viam Tr A et R.
36 et] ac B, W, BC, BR.
37 mentis] mensis B, BC.
38 aliisque] aliis BC.
39 ei] ex Tr A et R, eis B.
40 et] ac B, W, BC.

Última modificação em Quarta, 15 Setembro 2021 22:19
Mais nesta categoria: « La storia dei Cappuccini